ÁRVORE DE COMPETÊNCIAS / AFINAL O QUE É COMPETÊNCIA ?  
  No contexto atual pode-se dizer que competência é um conjunto de conhecimentos, habilidades e atitudes em ação que algumas pessoas, grupos ou organizações dominam melhor do que outras, o que as faz se destacarem, por sua eficácia, em determinados assuntos ou ambientes.
E para o melhor entendimento desta definição, utilizamos a metáfora da árvore para representar os três indicadores de uma competência:
 
  * RAIZ - CONHECIMENTOS: representa os diversos conteúdos e informações acumuladas ao longo da carreira. Esta parte da árvore é a base, a sustentação, é a responsável pela firmeza e estabilidades da árvore.

* TRONCO - HABILIDADES: representa as habilidades adquiridas e disponíveis para a realização do trabalho. Esta parte da árvore é a que determina sua grandeza e sua estrutura.

* COPA - ATITUDES: representa o conjunto de atitudes e comportamentos que mobilizamos quando necessitamos colocar em prática uma competência. Esta é a parte da árvore que lhe dá maior evidência, a que mais aparece e se destaca, que a diferencia mais nitidamente, onde suas características principais ficam evidentes. 
A árvore de competências de cada pessoa é que faz com que ela se destaque dos outros, é seu diferencial, porque os conhecimentos, habilidades e atitudes que possui e demonstra, definirão sua trajetória e seu sucesso profissional.
É necessário compreender cada um dos componentes de uma competência:
 
 
O CONHECIMENTO


O Saber. Ato ou efeito de conhecer. É tudo que sei sobre um determinado assunto. Cada trabalho exige conhecimentos específicos e conhecimentos essenciais - instrução, informação, estudo.
Os processos de decisão, planejamento e organização, comunicação, controle de resultados, negociação e administração de conflitos, dentre outros, são afetados pelo nível de conhecimentos essenciais - aqueles que fazem parte do rol que todo profissional deve saber para ocupar seu posto.
O domínio de procedimentos, conceitos, fatos e informações relevantes interfere diretamente na qualidade desses processos.
O conhecimento é um indicador de competências que ajuda a lidar com o paradoxo da fortaleza e da flexibilidade. Quanto mais colocamos conhecimentos em nossa bagagem, mais nos tornamos fortes e nos tornamos flexíveis para enfrentar as mudanças e rupturas que surgem na rotina do nosso dia-a-dia. 
Quem de nós pensou há quinze anos, que um profissional precisaria dominar mais uma ou duas línguas para sobreviver em seu trabalho? "Aprender depressa" é uma das exigências dos novos tempos!
O tempo não pára... Agir como um sensor, antenar-se, procurar ver além das fronteiras e muros, perceber em seu contexto as novas demandas do mercado e buscar as fontes de pesquisa são comportamentos que tornam a caminhada profissional mais divertida e rica. Quem sabe faz a hora e não espera acontecer!
 

AS HABILIDADES

O Saber Fazer. Aptidão para fazer ou realizar alguma coisa. É tudo que sei fazer. Normalmente adquirido através de treinamento. Usar o conhecimento de forma adequada é o que chamamos de "habilidade". Algumas pessoas acumulam um baú de informações teóricas e têm dificuldade de abri-lo para uso. Pouco adiantará um cirurgião conhecer tudo sobre cirurgia cardíaca, se não houver praticado, e muito, passo a passo para a realizar. 
As habilidades são demonstradas na prática. É o conhecimento demonstrado através de ações. O profissional, além de ser bom, precisa demonstrar que suas competências através de ações.
De nada adianta colecionar cursos, leituras e informações em geral, se estas não são úteis e trazem algum benefício para a coletividade na qual o profissional está inserido. 
 
AS ATITUDES:

O Querer Fazer. Modo de proceder ou agir, maneira de ser, comportamento. É tudo que quero fazer. Um dos indicadores de impacto e que dá distinção aos profissionais "de futuro" é o conjunto de atitudes agregadas à sua ação cotidiana. Quanto mais adequado ao contexto, maior o seu nível de influência no ambiente de trabalho.
As atitudes determinam o nível de confiança entre as pessoas, o clima de trabalho, o grau de comprometimento com objetivos e metas organizacionais e, conseqüentemente, resultados maximizados.
A sua árvore de competência é resultante da sua história: se for bem cuidada e cultivada em sua trajetória de vida, terá raízes fortes que sustentarão o tronco, favorecerão a formação de copas e a coleta de bons frutos. Caso contrário, a árvore precisará de estacas e auxílio para sua sustentação e permanência ou passará desapercebida no meio das outras árvores, não se destacando nem na firmeza de suas raízes (conhecimentos) nem na imponência de seu tronco (habilidades) e nem na beleza e magnitude de sua copa (atitudes).
 
 


ÁRVORE DAS COMPETÊNCIAS - DICAS


* Pergunte-se e pergunte aos outros: que competências atitudes são exigidas em minha atual função? 
* Faça o rol de competências atitudes desejáveis. 
* Antene-se: que conhecimentos você domina e quais aqueles que deve desenvolver agregar? Aja e corra atrás do tempo! Lembre-se: para subir a montanha, temos que iniciar pela base. Vale o primeiro passo e mais um, mais um, outro, mais outro... 
* Pergunte-se o que você sabe fazer bem em seu trabalho e faça sua avaliação de habilidades. 
* Pergunte-se: Que tipo de atitude eu tenho diante dos outros? E, diante de um desafio? E, diante de um colega que pede ajuda ou que me desafia? Qual minha maneira de agir com os outros? 
* Crie uma forma de auto-avaliação e peça feedback aos pares e pessoas que ocupam postos abaixo e acima de você. 
* Compare os resultados, levando em consideração que aquilo que você sabe, mas os outros não sabem que você sabe, merece um tratamento de marketing. 
* Faça seu rol de metas definindo as competências que você quer desenvolver ou demonstrar nos próximos meses. 
* Defina uma forma de avaliar seus progressos.